Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um dia ganho juízo!

História financeira de uma rapariga emigrante que um dia precisou de ganhar juízo para realizar o seu sonho.

História financeira de uma rapariga emigrante que um dia precisou de ganhar juízo para realizar o seu sonho.

Um dia ganho juízo!

21
Ago17

Money Mindset | crenças limitadoras sobre dinheiro #1

Sofia ganha juízo

Antes de poder enriquecer sei que vou ter que trabalhar nas minhas crenças pessoais sobre dinheiro. A essas crenças vou chamar de Money Mindset, sendo que um mindset (mentalidade) é o nosso esquema de pensamento relativamente à forma como encaramos determinada situação na nossa vida, e que por sua vez, dita o nosso padrão de comportamento relativamente a essa situação ou conjunto de situações.

 

Crença limitadora #1: o dinheiro está na origem de todos os males

 

Esta é muito conhecida. Acreditamos piamente que todos os males do mundo acontecem devido ao dinheiro... ou porque alguns têm a mais, ou porque alguns têm a menos, ou porque todas as pessoas que conhecemos com dinheiro precisaram de roubar, corromper, desviar fundos, em suma, ganharam esse dinheiro de forma pouco honesta.

Este pensamento de achar que alguém tem de ser mau só porque tem dinheiro é um conceito muito abstrato. A forma que eu encontrei para quebrar esta ideia na minha mente foi questionar-me da seguinte forma:


"Será que na minha vida já tive oportunidade de conhecer todas as pessoas ricas que devia?";

"Será que sei que aquela pessoa que foi muito má é verdadeiramente rica ou está atolada em dívidas?";

"Será que andam por aí muitos ricos que são excelentes pessoas, e que nós acabamos por não ver, porque são sempre as atitudes más que causam polémica e que por isso são alvo de notícia?"

"Saberei eu algum dia através de quais meios as pessoas ganharam a sua fortuna? Será que só roubando é que se chega lá? As pessoas honestas darão tanto nas vistas como as desonestas?"

 

Digo para mim própria: O dinheiro é só um recurso para fazer bem aos outros que por sua vez foi consequência do bem que fiz ou de serviços que prestei em prol do bem-estar alheio. Quanto mais servir o outro maior vai ser a minha riqueza e consequentemente poderei servir cada vez mais e de novas formas o meu próximo. A maneira como vou utilizar este recurso só a mim diz respeito e vou fazê-lo baseando-me nos meus valores e éticas pessoais, que vou manter e respeitar independentemente do valor na minha conta bancária.

 

 

E vocês, sabem que crenças limitadoras têm relativamente ao dinheiro?

 

20
Ago17

Mês de Julho (em atraso)

Sofia ganha juízo

Eu sei que estou em atraso e que não venho aqui há imenso tempo dar notícias das minhas finanças pessoais e dos meus progressos. Por isso aqui estou eu pronta para "confessar tudo".

O mês de Julho foi uma autêntica desgraça relativamente às despesas de supermercado. Consegui meter de lado o dinheiro todo que tinha planeado logo no início do mês - pay yourself first, regra de ouro! - mas deixo sempre um pouco disponível para despesas livres... o pior é que neste mês essa ideia saiu-me muito errada e acabou por "arruinar" o valor estipulado para supermercado e não comprei nada na categoria "despesas livres", ora vejamos...

Normalmente o valor de 150€ chega e sobra para as mercearias... mas como tinha o tal dinheiro a mais na conta, sem me aperceber, acabei por ir ao supermercado mais vezes do que aquelas que precisava (também não cumpri a regra de só ir uma vez por semana ao supermercado). No total gastei 341,50€, tendo ultrapassado o valor estipulado em 191,50€...

Não sei como fiz isto... só sei que estive a analisar o extrato de conta para ver onde errei e vi que fui ao supermercado a cada 2/3 dias. Um desperdício de dinheiro em mercearias (onde é que meti tanta comida?) e em gasolina (fui ao supermercado de carro).

 

 

Não esquecer (tenho que marcar isto a ferro e fogo no cérebro!!!):

- Ir ao supermercado apenas uma vez por semana;

- Reflectir bem se o que estou prestes a comprar me faz mesmo falta;

- Se deixar dinheiro na categoria livre, estipular logo à partida o que quero gastar (nesta parte a técnica do envelope vai ser a escolhida, uma vez que deixar dinheiro "sem objetivo" a pairar na conta não está a resultar);

- Focar no objetivo primordial e no porquê de estar a fazer isto tudo (independência financeira, voltar para Portugal e estar mais sossegada).

 

Agora é manter o foco, aprender com os erros e continuar!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D